Compensação ambiental aumenta quantidade de parques no DF em mais de 1.000%

Desde 2011, já foram entregues 12 áreas verdes; próxima cidade beneficiada será o Riacho Fundo

BRASÍLIA – A quantidade de parques no DF aumentou em 1.100% nos últimos 10 anos. O bom desempenho é fruto do programa “Brasília, Cidade Parque”, que desde 2011 prevê a compensação ambiental e florestal pelos empreendimentos que causam impacto ao meio ambiente.

“No total, há R$ 100 milhões de recursos em compensação ambiental a serem usados, já com o Termo de Compromisso assinado. Essa era uma verba que não existia antes, que não era cobrada das empresas”, explicou o secretário de Meio Ambiente, Eduardo Brandão.

Antes da criação do “Brasília, Cidade Parque”, apenas o Parque Olhos d’Água havia sido entregue à população, em 2001. A partir da compensação, seis parques que existiam apenas em decretos saíram do papel, enquanto outros cinco foram revitalizados. Confira aqui a lista dos 12 parques entregues até o momento.

Até o fim deste mês será a vez do Riacho Fundo ganhar uma área verde revitalizada, enquanto outros 30 projetos estão em fase de obras e planejamento. Em abril, Estrutural, Candangolândia e Planaltina também terão seus parques renovados. A expectativa é que 18 sejam entregues à comunidade até o fim deste ano.

ÁRVORES – Para reforçar o cultivo de plantas no DF, a Terracap começou nesta quarta-feira (12) o plantio de mais de 300 mudas nativas do cerrado no Parque do Areal, entre Taguatinga e Águas Claras. A iniciativa faz parte do projeto “Terracap Cidadã”, que também é uma forma de compensação ambiental.

COMPENSAÇÃO – Os recursos da compensação ambiental e florestal conseguem dar mais celeridade às obras e transparência na sua aplicação, porque são feitas diretamente nos parques, sem passar pelos cofres do governo. O investimento em cada espaço é, em média, de R$ 2,5 milhões.

As condições de realização da medida compensatória serão definidas no Termo de Compromisso de Compensação Ambiental, que deve ser firmado entre o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e o empreendedor, antes da concessão da licença de instalação.

TEMPO DE PLANTAR – Como reforço ao meio ambiente, começou neste ano o programa “Tempo de Plantar”, desenvolvido pela Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e Ibram. A meta é plantar um milhão de mudas nativas do cerrado em áreas públicas, mananciais, parques e unidades de conservação do Distrito Federal.

Além disso, a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) também lançou o “Programa de Arborização Urbana 2014”, que prevê o plantio de 100 mil mudas em todas as regiões administrativas do DF até o fim deste ano. Apenas no Plano Piloto serão 11 mil, sendo 2,6 mil na reposição de árvores das quadras residenciais e institucionais.

(Agência Brasília)

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.