22 de setembro de 2017

Problemas urbanos exigem novas posturas e representam oportunidades de negócios

“Cidades sustentáveis” são tema de diálogos no 4º Seminário Sebrae de Sustentabilidade 

Estimativa da ONU-Habitat (Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos) prevê que 6 bilhões de pessoas estarão morando nas áreas urbanas até 2050. O número representa 75% da população atual do mundo conforme dados divulgados este ano pela própria ONU.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) fez uma lista, na qual classificou como emergentes 153, dos 195 países do globo terrestre. Os integrantes do rol tiveram a quantidade de habitantes multiplicada por 5 entre os anos de 1950 e 2011. A estatística mostra ainda que entre 1995 e 2005, a população cresceu, em média, 1,2 milhões por semana ou aproximadamente 165 mil habitantes por dia.

Com a ampla densidade populacional, as atividades econômicas ficam mais intensas, prejudicam substancialmente a qualidade da água, do solo e do ar, comprometendo até mesmo a vida humana em alguns locais.

Outro obstáculo que merece destaque no cenário é a grande produção de resíduos sólidos. O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) aponta que as pessoas produzem 1,3 bilhão de toneladas de lixo por ano e na maior parte dos casos, o material é descartado incorretamente.

Ideias e oportunidades

Para discutir este novo cenário, o 4º Seminário de Sustentabilidade, que acontece de 29 a 31 de julho no Centro de Eventos do Pantanal, irá reunir especialistas sobre o assunto. Os problemas urbanos, desafios e oportunidades de negócio serão discutidos em “Diálogos: Cidades Sustentáveis”, ministrada por Carlos Silva, da Abrelpe, Mirela Souto, da Marca Ambiental, e Rolf Buschmann, da Solar Info Center (Alemanha). A mediação fica por conta de Dal Marcondes.

Resumo da palestra

Cidades sustentáveis são projetadas para minimizar impactos sócio-ambientais, promovendo não apenas a melhoria na qualidade de vida atual, mas também garantindo recursos para as gerações futuras. Contemplam iniciativas como políticas públicas em prol da mobilidade, melhoria dos meios de transporte coletivos, estímulo às fontes renováveis de energia, e implantação de sistema para gerenciamento dos resíduos sólidos, garantindo um processo menos desigual, mais inclusivo e que integra as dimensões social, ambiental e econômica.

Freiburg: a cidade mais sustentável do mundo

Integrando a discussão, será apresentando o caso de Freiburg, na Alemanha. A cidade é exemplo de como é possível aliar crescimento econômico, qualidade de vida e conservação de recursos. Com cerca de 220 mil habitantes, Freiburg alcançou um dos menores índices de monóxido de carbono, graças a diversas iniciativas, como uso de fontes renováveis de energia (especificamente a solar), edificações eficientes e uso intensivo de ciclovias.

Serviço:

4º Seminário Sebrae de Sustentabilidade
De 29 a 31 de julho, em Cuiabá (MT) – Vagas limitadas
Mais informações: www.sustentabilidadesebrae.com.br

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.