19 de novembro de 2017

Parques Nacionais da Amazônia: legado dos brasileiros

Vista aérea sobre o Parque Nacional do Juruena (MT/AM) © Adriano Gambarini/ WWF-Brasil
Vista aérea sobre o Parque Nacional do Juruena (MT/AM)
© Adriano Gambarini/ WWF-Brasil

Esse é o tema da exposição fotográfica em homenagem ao Dia da Amazônia, 5 de setembro, que mostra o valor dessas áreas protegidas e as principais ameaças à sua conservação

Em comemoração ao Dia da Amazônia, o WWF-Brasil, com apoio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), realiza, de 6 de setembro a 5 de outubro, a exposição “Parques Nacionais da Amazônia: legado dos brasileiros”. O evento, que acontece no Espaço Israel Pinheiro, em Brasília, vai ilustrar, por meio de textos e imagens, a beleza, o valor da biodiversidade das unidades de conservação (UCs) amazônicas e também algumas de suas principais ameaças e desafios à conservação de espécies e da natureza.

Para a exposição foram escolhidas fotografias de três Parques Nacionais emblemáticos do bioma: Serra do Pardo (PA); Montanhas do Tumucumaque (AP); e Juruena (AM/MT). “Essas UCs são apenas uma amostra da importância dessas áreas para a população brasileira e para a conservação da biodiversidade, alertando para as diversas ameaças que os Parques têm sofrido por toda a Amazônia, como a construção de hidrelétricas e a aprovação de projetos de lei que têm reduzido ou descriado diversas UCs na região”, explica Marco Lentini, coordenador do Programa Amazônia do WWF-Brasil.

Dentre os biomas brasileiros, a Amazônia é o que possui a maior extensão de áreas protegidas. No total, são 314 unidades de conservação (UCs), entre federais, estaduais e algumas municipais, que representam mais de 1 milhão de km² ou 26% do território da Amazônia brasileira.

Para a chefe do Parque Nacional Serra do Pardo, Leidiane Diniz Brusnello, a exposição é uma forma de mostrar ao público o imenso potencial dos parques amazônicos para que se desperte o interesse de visitantes, pesquisadores, empreendedores do trade turístico e apoiadores em geral. “As unidades da Amazônia em geral são pouco divulgadas, o que se deve em parte ao seu isolamento e ao número reduzido de visitantes que recebem. Entretanto, várias destas unidades, em especial os Parque Nacionais, apresentam características únicas de grande interesse para o turismo, a educação ambiental e a pesquisa”, explica.

Na exposição, um totem interativo, com textos, fotos e vídeos de diversas UCs de todo o Brasil, também estará à disposição dos visitantes, além de jogos educativos sobre alguns dos Parques. “Queremos mostrar que as unidades de conservação do Brasil são um importante legado para as futuras gerações e que estão ameaçadas por modelos de desenvolvimento que ainda não consideram aspectos de sustentabilidade. A exposição é uma forma de aproximar o público da biodiversidade brasileira e assim disseminar informações relevantes à conservação de áreas protegidas na Amazônia”, afirma Lentini.

Sobre os Parques

Parque Nacional Serra do Pardo

O Parque Nacional da Serra do Pardo está localizado na região da Terra do Meio, no estado do Pará. Criado em fevereiro de 2005 como parte do programa de Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), o Parque tem uma área de mais de 445 mil hectares, abrangendo os municípios paraenses de Altamira e São Félix do Xingu.

Batizado em homenagem à belíssima serra que se estende ao longo do rio Pardo, o Parque possui grande diversidade biológica. Mesmo com a ocupação de comunidades e fazendas no passado, quase 95% da área mantém sua vegetação natural, e é considerada de extrema importância para a conservação. Por estar em uma zona de interflúvio dos rios Xingu e Tapajós, o Parque possui uma biodiversidade bastante particular, com espécies endêmicas que, infelizmente, sofrem ameaças constantes de vetores de desmatamento como pecuária, mineração e obras de infraestrutura planejadas para a região.

Parque Nacional do Juruena

Criado em junho de 2006, o Parque Nacional do Juruena é o quarto maior do país, com quase 2 milhões de hectares, o equivalente ao tamanho de Israel. Situado ao norte do Mato Grosso e sudeste do Amazonas, o Juruena está localizado em uma área das principais frentes ativas de desmatamento na região Amazônica. A beleza regional e sua riqueza ecológica contrastam com a dura realidade que tem ameaçado a vida de espécies, rios, florestas e comunidades. A área é uma das mais vulneráveis da Amazônia, que já sofre com impactos ambientais como garimpos ilegais, pesca predatória, agricultura insustentável e exploração descontrolada de madeira.

Uma das ameaças mais recentes é a possível redução da área do Parque para a construção de hidrelétricas. De forma a dar visibilidade a essas e outras ameaças ao Parque, o WWF-Brasil lançou a Campanha #SOSJuruena, que tem o objetivo de garantir que o Parque Nacional do Juruena permaneça íntegro, evitando que o mesmo seja reduzido ou desafetado com a construção de hidrelétricas.

Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque

O Parque Nacional do Tumucumaque (PNMT) é o maior Parque Nacional do Brasil e uma das maiores áreas de floresta tropical protegidas do mundo, com uma área aproximada de 4 milhões de hectares. Criada em 22 de agosto de 2002, a área está localizada ao noroeste do estado do Amapá, numa porção da Floresta Amazônica bem peculiar, com características únicas. Aproximadamente 90% da área do PNMT encontra-se em zona de fronteira e por isso sua localização é estratégica para o controle e monitoramento da região. Além disso, o PNMT tem relevância no combate a crimes ambientais como a biopirataria, a atividade garimpeira ilegal e a instalação de pistas de pouso clandestinas.

Além da mineração, questionamentos sobre a legitimidade do processo de criação do Tumucumaque tem ameaçado a integridade do Parque. Uma ação popular pediu a derrubada do decreto de agosto de 2002, que criou o Parque. De acordo com a liminar, na ocasião da criação, não ocorreram todas as consultas públicas necessárias para esclarecer e debater a localização, a dimensão e os limites da unidade de conservação junto com a população local. Em 2013, a Justiça Federal decretou a realização de novas consultas públicas nos municípios que abrangem o PNMT.

Serviço
Exposição fotográfica: “Parques Nacionais: legado dos brasileiros”
Data: de 6 de setembro a 5 de outubro
Horário: das 9h às 18h, inclusive nos finais de semana
Entrada: gratuita
Local: Espaço Israel Pinheiro, próximo a Praça dos Três Poderes (Eixo Monumental)

 

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.