15 de novembro de 2017

Na ONU, governos e empresas se comprometem a eliminar o desmatamento até 2030

florestas_cúpula_do_clima_ecobrasiliaDeclaração de Nova York sobre Florestas, um acordo político não vinculativo, pede o restabelecimento de mais de 350 milhões de hectares de florestas e terras agrícolas, uma área maior do que o território da Índia

Dezenas de governos, empresas, sociedade civil e povos indígenas que participaram da Cúpula do Clima das Nações Unidas, ontem (23), em Nova York, se comprometeram a reduzir pela metade o desmatamento até 2020 e zerá-lo até 2030.

“As florestas não são apenas uma parte fundamental da solução do clima – elas possuem múltiplos benefícios para todos os membros da sociedade”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em um anúncio sobre a iniciativa.

A “Declaração de Nova York sobre Florestas”, um acordo político não vinculante, pede o restabelecimento de mais de 350 milhões de hectares de florestas e terras agrícolas, uma área maior do que o território da Índia.

O desmatamento contribui de modo significativo para a mudança climática. Árvores, que armazenam carbono, o liberam quando são queimadas durante o corte e a queima de terras, por exemplo.

Se funcionar como esperado, a iniciativa evitaria entre 4,5 e 8,8 bilhões de toneladas de dióxido de carbono por ano até 2030. Isto é o equivalente a remover as emissões de carbono produzidas por um bilhão de carros que estão atualmente nas estradas do mundo.

“A Declaração de Nova York tem como objetivo reduzir a poluição do clima por ano em maior quantidade do que os Estados Unidos emitem anualmente”, observou Ban Ki-moon.

Em apoio à Declaração, 20 empresas globais de alimentos anunciaram as suas promessas de políticas de abastecimento de óleo de palma livres de desmatamento.

A ONU informou que 150 parceiros – incluindo 28 governos, 35 empresas 16 grupos indígenas e 45 organizações da sociedade civil assinaram a Declaração. Os governos da República Democrática do Congo (RDC), da Etiópia, da Guatemala, de Uganda e de outros países prometeram restaurar mais de 30 milhões de hectares de terras degradadas.

A Declaração de Nova York sobre Florestas, que não é um documento vinculante – ou seja, os Estados-membros não se obrigam a cumprir –, permanecerá aberta para assinatura até a reunião da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), esta sim uma negociação vinculante dos Estados-membros. O encontro acontecerá primeiro em Lima (Peru) em dezembro deste ano e, posteriormente, em Paris (França) em dezembro de 2015.

Acesse a Declaração de Nova York sobre Florestas na íntegra, em inglês, clicando aqui.

(com informações da ONU Brasil)

 

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.