13 de dezembro de 2017

América Latina passa por grande perda de biodiversidade, mas busca soluções para reverter cenário, aponta WWF

Perda da biodiversidade global é de 52% nos últimos 40 anos © Andy Rouse / naturepl.com
Perda da biodiversidade global é de 52% nos últimos 40 anos
© Andy Rouse / naturepl.com

A América Latina está atravessando o maior declínio regional com uma crítica diminuição das populações de vida selvagem. É o que aponta o Relatório Planeta Vivo 2014 (Living Planet Report), lançado a cada dois anos pela Rede WWF. Por outro lado, a região abriga diversos programas para reverter a perda da biodiversidade, segundo a publicação internacional lançada hoje.

Em média, 83% das populações de peixes, aves, mamíferos, anfíbios e répteis foi extinta na América Latina nos últimos 40 anos. A diminuição da vida selvagem da região é maior do que o declínio global de 52% no mesmo período.

O Relatório Planeta Vivo 2014 aponta ainda que a Pegada Ecológica – medida da demanda da humanidade sobre a natureza – continua a aumentar. A combinação de perda de biodiversidade e Pegada Ecológica insustentável ameaça os sistemas naturais e o bem-estar humano, porém, também nos leva a ações para reverter a tendência atual.

“Biodiversidade é uma parte fundamental dos sistemas que sustentam a vida no planeta e um termômetro para saber como estamos cuidando do planeta, que é a nossa única casa. Necessitamos urgentemente de uma ação global em todos os setores da sociedade para construir um futuro mais sustentável”, afirma o diretor geral do WWF, Marco Lambertini.

Nesse declínio observado na América Latina se destaca a pressão intensa sofrida pelas espécies tropicais. Entre as milhares de espécies estudadas no Relatório, os trópicos mostraram 56% de perda em população comparado com 36% nas zonas temperadas.

“O Relatório Planeta Vivo traz dados e indicadores importantes para pautar ações e estratégias a nível global e também regional, como no caso da América Latina. Segundo a edição 2014, as maiores ameaças registradas para a biodiversidade são a perda e degradação do habitat natural, pesca predatória, caça e as mudanças climáticas. Todos esses são alvos considerados nas estratégias de conservação do WWF-Brasil. O nosso País tem um papel relevante em termos de biodiversidade para todo o mundo. Isso é, ao mesmo tempo, uma grande responsabilidade”, diz a Secretária Geral do WWF-Brasil, Maria Cecília Wey de Brito.

A perda de biodiversidade, o aumento da população e do consumo per capita na América Latina estão levando ao crescimento da Pegada Ecológica. A América Latina aparece na metade do ranking regional apresentado no Relatório. Globalmente, a demanda da humanidade sobre o planeta está 50% maior do que a natureza pode renovar. Ou seja, atualmente, seria necessário 1,5 planeta para produzir os recursos necessários para a nossa atual Pegada Ecológica.

Sobre o Relatório 

O Relatório Planeta Vivo 2014 é a décima edição da publicação bienal da Rede WWF. Nele, são registradas informações sobre mais de 10 mil espécies de populações vertebradas de 1970 a 2010 através do Índice Planeta Vivo – um banco de dados mantido pela Sociedade Zoológica de Londres. Os dados apresentados no relatório sobre a Pegada Ecológica são fornecidos pela Global Footprint Network, outro parceiro do WWF.

Nesse ano, o Índice Planeta Vivo apresenta melhora na metodologia. Acompanha a biodiversidade global de forma mais efetiva e apresenta um retrato mais fiel da saúde do meio ambiente no mundo. Com a piora no estado das espécies no mundo observado nessa edição, o Relatório funciona como uma plataforma para o diálogo, processo de tomada de decisão e ação para governos, empresas e sociedade civil nesse momento crítico para o planeta.

O Relatório inclui a Perspectiva One Planet do WWF. São estratégias para preservar, produzir e consumir de forma mais consciente. Inclui exemplos de como as comunidades na América Latina já estão buscando melhores alternativas para reduzir a Pegada Ecológica e reverter a perda de biodiversidade.

“A natureza é um indicador de sobrevivência e prosperidade. É uma luta de todos nós. Toda a humanidade precisa de alimentos, água doce e ar puro, independente da região do mundo onde vive. Em tempos onde ainda há muitos que vivem na pobreza, é essencial trabalharmos juntos para encontrar soluções justas para todos”, diz Lambertini.

Encontrar solução inovadora para enfrentar as ameaças ao meio ambiente não é fácil, mas alguns países provam que isso pode ser feito. A Perspectiva One Planet mostra que todos os cantos do globo podem contribuir para manter a Pegada Ecológica abaixo da capacidade de renovação do planeta. Seguindo caminhos apontados pelo WWF, a sociedade pode começar a reverter as tendências indicadas no Relatório Planeta Vivo 2014.

O Sumário Executivo, em português, pode ser baixado em http://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/especiais/relatorio_planeta_vivo/ 

O Relatório na íntegra e outros materiais (em inglês) podem ser acessados em: www.panda.org/LPR

(com informações da WWF)

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.