19 de novembro de 2017

Por meio de projeto do UNICEF, adolescentes em Manaus realizam mapeamento digital dos seus bairros

Grupo de estudantes que participaram do mapeamento digital em Manaus. Foto: UNICEF
Grupo de estudantes que participaram do mapeamento digital em Manaus. Foto: UNICEF

Combinando técnicas de geolocalização e imagens aéreas e terrestres, os estudantes registraram em um plano de ação as principais reivindicações de seus bairros e identificaram os atores implicados em promover essas melhorias

Durante uma semana, 22 meninos e meninas entre 11 a 17 anos participaram, em Manaus, da Oficina de Mapeamento Digital Liderado por Adolescentes – a primeira na região da Amazônia Legal. A iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) contemplou adolescentes de duas escolas municipais localizadas em bairros da zona leste da capital amazonense.

Iniciada na última segunda-feira (13), a oficina contou também com a participação de quatro professores da rede municipal de ensino. Juntos, discutiram o protagonismo dos adolescentes em relação aos desafios e melhorias possíveis em seus próprios bairros e o potencial dos estudantes de propor soluções para melhorar a qualidade de vida da população local a partir da mobilização de outros adolescentes, da comunidade e de gestores públicos.

Tudo isso feito com o apoio do Mapeamento Digital, uma tecnologia social que consiste em utilizar um aplicativo de celular que permite registrar fotos georreferenciadas, indicando a localização em um mapa online do bairro.

Para registrar fotos aéreas do bairro, os adolescentes usaram câmeras fotográficas acopladas em uma pipa criada para essa finalidade. Além de aprenderem a manusear os equipamentos, os adolescentes escolheram o que desejavam mapear em seus bairros e foram a campo para registrar as imagens e gerar o mapeamento digital. Com a informação, elaboraram um plano de ação, em que identificaram quais os atores que precisariam envolver para solucionar os desafios que elegeram como prioritários no bairro.

Para Giuliane Santos, 17, a oportunidade de participar do projeto é uma forma de conhecer a própria realidade a partir de outro ponto de vista “Eu estou gostando do curso porque podemos ver quantas coisas têm e faltam no nosso bairro” afirmou.

Já Thainara Ribeiro, 15, se empolgou com a ideia de poder mudar muitas coisas em sua comunidade. “Nesta oficina eu estou aprendendo que, sim, nós os adolescentes podemos ser a grande diferença na nossa sociedade com ideias inovadoras podemos construir um mundo melhor”, comenta Thainara.

O professor da rede municipal, Wagner Albuquerque, diz que está redescobrindo a própria cidade. “Estou fazendo uma viagem introspectiva por uma Manaus desconhecida e só pude descobrir um novo bairro por meio desse projeto”, compartilha.

Participam da oficina representantes de escolas municipais dos dois bairros de Manaus que integram a Plataforma dos Centros Urbanos (PCU), estratégia do UNICEF em parceria com a Prefeitura Municipal de Manaus para diminuir desigualdades sociais em grandes centros urbanos.

“A tecnologia social do Mapeamento Digital Liderado por Adolescentes e Jovens já foi usada no Rio de Janeiro, apresentando resultados efetivos de fortalecimento da participação dos estudantes na vida comunitária. Em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Manaus, estamos trazendo o mapeamento pela primeira vez para uma cidade da região Norte, no marco da Plataforma dos Centros Urbanos, e temos certeza de que esta metodologia fortalecerá ainda mais o protagonismo de meninos e meninas na região”, afirmou o coordenador da Plataforma Amazônia do UNICEF, Unai Sacona.

(ONU Brasil)

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.