Rio Branco desativa lixão e reutiliza material descartado

Unidade recebeu 1,2 mil toneladas de pneus velhos. Desse total, 972,56 toneladas foram recicladas (Prefeitura de Rio Branco)
Unidade recebeu 1,2 mil toneladas de pneus velhos. Desse total, 972,56 toneladas foram recicladas (Foto: Prefeitura de Rio Branco)

Prefeitura recebeu o Prêmio Caixa Melhores Práticas pela criação da Unidade de Tratamento de Resíduos Sólidos

Nos últimos cinco anos, a capital do Acre, Rio Branco, tem reutilizado uma boa parte do seu lixo na Unidade de Tratamento Resíduos Sólidos (UTRE).

Antes da existência da iniciativa, todo o resíduo era direcionado ao lixão que existia na cidade. “Nós tínhamos um lixão a céu aberto que funcionava há 20 anos. Isso causava um grande prejuízo ambiental”, conta a técnica de controle de meio ambiente da Prefeitura de Rio Branco, Aline Ramos.

Devido ao trabalho desenvolvido pela UTRE, quase mil toneladas de pneus velhos receberam um destino sustentável: foram transformados em grama sintética, pisos, pavimentação e quadras desportivas.

Ao todo, durante o período de funcionamento, a Unidade recebeu 1,2 mil toneladas de pneus velhos. Desse total, 972,56 toneladas foram recicladas.

Além dos pneus velhos, todo o lixo urbano resultante da atividade doméstica e comercial de Rio Branco passa pela UTRE. A unidade de tratamento recebe restos de comida, papel e papelão, plásticos, vidro, metais, roupas, óleos (de cozinha e de motos) e material descartado de informática.

A decisão da prefeitura de instalar a UTRE foi uma antecipação à Política Nacional de Resíduos Sólidos, formalizada pela lei 12.305, de 2010, que determinou a extinção dos lixões.

Para instalar as Unidades de Tratamento, a prefeitura de Rio Branco contratou, em 2006, financiamento junto à Caixa Econômica Federal, por meio do Ministério das Cidades. Já no segundo ano de funcionamento da Unidade, a prefeitura recebeu o Prêmio Caixa Melhores Práticas em Gestão Local.

Reciclagem

Atualmente, a UTRE recebe material de grandes geradores de resíduos. “Empresas terceirizadas recolhem o material de shoppings e mercados, por exemplo, e levam para a Unidade, onde é feita uma triagem”, exemplifica a técnica Aline Ramos.

Além de fazer a destinação correta ao papelão, vidro, material hospitalar e plástico, a Unidade de Tratamento também recebe frutas, legumes e verduras descartadas pelos mercados.

Esse material orgânico é destinado à unidade de compostagem, a transformação em adubo destinado a hortas. Durante o período que a UTRE está em funcionamento, mais de 300 toneladas de orgânicos foram destinadas às instituições sociais (quando o produto ainda é possível de ser consumido), produtores de hortaliças e hortas comunitárias.

(Agência Caixa Notícias)

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.