Sistema reduz até 40% do consumo de água em plantações

eco brasília sustentável
Parte da equipe da SPIn trabalhando no projeto (Foto: Divulgação)

Solução já recebeu prêmios e ganhou destaque na Campus Party 2015

Com a crise hídrica, soluções de economia são sempre bem-vindas. A empresa SPIn – Sistemas de Plantações Inteligentes, incubada no Inatel, em Santa Rita do Sapucaí, desenvolveu um produto que possibilita uma economia de até 40% de água em irrigações no campo. Os empreendedores da startup marcaram presença na Campus Party, em São Paulo. Eles foram selecionados pelo Sebrae entre 200 startups do Brasil e puderam apresentar o produto para um público diversificado, que podia votar nas ideias mais interessantes. Entre 200 projetos apresentados, eles foram o 24º melhor votado. Durante a feira, foram destaque em uma reportagem do Fantástico, da Rede Globo, sobre a crise hídrica, exibida no domingo, dia 8. “A Campus Party possibilitou uma aproximação com investidores. Fomos pra lá focados em fazer parcerias e apresentar nossa ideia para pessoas que tem interesse em investir,” afirma o estudante de Engenharia da Computação do Inatel e sócio da SPIn, Luiz Claudio de Andrade.

 

ilustra

 

 

 

 

 

 

 

O sistema de monitoramento online, denominado SPInAPP, automatiza a plantação, oferece melhor utilização dos recursos naturais e matéria prima, além de reduzir também o consumo de energia. “Cerca de 80% da água gasta no mundo é com a irrigação. O SPInAPP tem um cálculo do quanto de água a planta perde por dia. Ligando o cálculo ao sistema de irrigação é possível irrigar a quantidade necessária que a planta precisa por dia, nem mais nem menos”, afirma o sócio da SPIn, Wellington Faria. O SPInAPP está em fase de teste e a previsão é que chegue ao mercado no final deste ano. Contudo, já tem atraído a atenção de produtores rurais e investidores.

 

 

O início e o reconhecimento
O projeto do SPInAPP começou a ser desenvolvido em 2013, depois que produtores de morango da região do sul de Minas Gerais sofreram uma perda de 80% da produção, decorrente de problemas climáticos. Na época, os alunos do Inatel Luiz Cláudio de Andrade Junior, Pedro Lúcio Leoni de Andrade Junior, Vitor Ivan D’Angelo e Wellington Faria decidiram criar um projeto voltado para o agronegócio.

O projeto foi apresentado pela primeira vez na Feira Tecnológica do Inatel – Fetin – em 2013, e ficou em primeiro lugar. No mesmo ano, ganharam o prêmio de Projeto Mais Empreendedor, da Angels Club e, em 2014, faturaram o prêmio Inovação da Prefeitura de Santa Rita do Sapucaí e entraram para a Incubadora de Empresas do Inatel. A SPIn também é finalista este ano da Telit Cup Brasil, da empresa Telit Wireless Solution.

(com informações da Inatel)

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.