19 de novembro de 2017

É mais do que hora de economizar energia

economia-energia1Em tempos de crise energética, atitudes simples e mudanças arquitetônicas ajudam a evitar o desperdício

A grande pauta no setor energético no país é a redução do consumo e o fim do desperdício. É o argumento por trás, por exemplo, da extinção das lâmpadas incandescentes do mercado. Mas, se a questão é economizar, que tal evitar ao máximo ter que acionar interruptores ou ligar equipamentos como ar condicionado? Quando se trata de sustentabilidade e economia nas contas de luz, existem alternativas eficazes que garantem menores gastos e energia limpa.

“Há equipamentos que dispensam o uso da energia elétrica por funcionarem apenas a luz solar. Além disso, existem modelos que possuem acionamento automático e controle remoto”, conta o consultor da Loja Elétrica, Herbert Abreu. Opções como geradores, placas fotovoltaicas, aquecedores e projetos que utilizam lâmpadas de LED solar, com ou sem sensores de presença, que também podem gerar economia. “O equipamento vem com um dispositivo que capta a energia do sol. Quando escurece, a lâmpada se acende. Trata-se de uma iluminação que funciona muito bem em áreas externas, jardins etc.”, explica.

Arquitetura verde
“A arquitetura bioclimática é um apanhado de técnicas da boa arquitetura que aborda tudo, seja o estudo dos ventos e do sol, a escolha dos materiais e a preocupação com a posição dos prédios. Pode influenciar até na hora da compra do terreno”, explica Alexandre Nagazawa, sócio-diretor da Bloc Arquitetura. Segundo ele, não existe um método padrão e cada caso deve ser estudado individualmente, mas existem estratégias que podem orientar a construção, otimizando o consumo de energia elétrica e tornando a casa e/ ou escritório um lugar mais sustentável.

Confira a seguir algumas dicas para economizar energia em casa e no escritório:

Ao construir
– Orientação solar: Conhecer o movimento do Sol em relação ao terreno na hora de escolher a distribuição dos cômodos é fundamental. As partes da construção que são voltadas para o Sul podem ser abertas, com grandes vidraças. Já em relação aos quartos, Nagazawa recomenda evitar posicioná-los com vistas para o Norte ou o Oeste. Segundo ele, além de as paredes acumularem calor, as ondas térmicas que entram pela janela, ao serem refletidas, não conseguem mais sair, gerando um efeito estufa;

– Ventilação: Outra recomendação do arquiteto é o posicionamento de janelas em paredes opostas, garantindo uma ventilação cruzada. “Parece uma estratégia evidente, mas muitos projetos acabam ignorando essa regra. Como resultado, cômodos pouco arejados, que acabam solicitando um ventilador ou ar condicionado”, avalia;

– Painéis de brises que se fecham no verão de intensa incidência solar, mas que permitem ventilação. Já no inverno se abrem a fim de se deixar entrar os raios solares para esquentar o ambiente interno;

– Posicionar paredes mais grossas em determinadas orientações solares é uma forma de se utilizar da inércia térmica dos materiais para promover frescor ou calor ao ambiente;

– Os telhados verdes promovem grande isolamento térmico, propiciando conforto nos ambientes abaixo dele;

– A utilização de peles de vidro pode ser benéfica dependendo da sua orientação solar, pois ilumina naturalmente sem o incômodo do sol forte tropical;

– Os muros verdes podem ser adotados em orientações que se quer proteger da incidência solar direta (norte ou oeste) e promover melhor conforto térmico;

– Pinte as paredes internas e os tetos da casa com cores claras. Elas refletem e espalham a luz para todo o ambiente.

Dentro de casa ou no escritório
– Utilize fotocélulas – aparelhos que detectam a presença de movimento – em ambientes externos para que as luzes acendam somente à noite;

– Troque as lâmpadas incandescentes por fluorescentes, que possuem vida útil maior e se alimentam com um gasto mínimo; ou, lâmpadas de LED, ainda mais econômicas;

– Dê preferência a aparelhos que consumam menor quantidade de energia, como notebooks, computadores, impressoras e copiadoras;

– Ao sair, tire os aparelhos da tomada;

– Desligue o monitor do computador ou coloque a máquina em modo de economia de energia, quando não estiver no ambiente;

– Deixe os globos e lustres transparentes sempre limpos para aproveitar ao máximo a potência das lâmpadas;

– No caso dos aparelhos de ar-condicionado, mantenha os filtros sempre bem higienizados; e use o termostato do ar-condicionado para regular a temperatura e evitar a sobrecarga do aparelho;

– Máquina de lavar roupa e ferro de passar consomem bastante energia. Portanto, tente usá-los quando houver bastante roupa acumulada para realizar o trabalho de uma única vez;

– Em dias secos, ao invés de usar umidificadores eletrônicos, coloque um pano úmido pendurado no recinto e uma bacia com água;

– Evite deixar aparelhos eletrônicos em stand by. Apesar de desligados, esse modo pode representar um gasto mensal de até 12%. Uma boa solução é instalar um interruptor capaz de comandar as tomadas onde esses equipamentos estão plugados;

– Escolher aparelhos que vêm com a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence). Ela classifica os equipamentos pelo consumo em faixas de A (mais eficiente) a D (menos eficiente);

– Evite colocar o fogão e a geladeira próximos um do outro. Eles podem interferir no consumo de energia, e mantenha a borracha de vedação da geladeira sempre em bom estado;

– Regule a temperatura da geladeira no inverno, ajustando o termostato para evitar desperdício de consumo, e não forre as prateleiras para não exigir esforço redobrado do eletrodoméstico;

– Quando viajar, desligue a chave geral da casa para não gastar energia com coisas desnecessárias.

 

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.