Duas etnias brasileiras ganham Prêmio Equatorial da ONU por ações de conservação e redução da pobreza

Crianças Kayapó se preparam para a festa. Foto: Encontro entre as Culturas/Anne Vilela
Crianças Kayapó se preparam para a festa. Foto: Encontro entre as Culturas/Anne Vilela

Condecoração reconhece grupos que contribuem para o desenvolvimento sustentável de suas comunidades

Uma organização fundada pelos Kayapós, grupo indígena brasileiro que inspirou o filme “Avatar”, foi uma das ganhadoras do Prêmio Equatorial das Nações Unidas, que homenageou etnias de 20 países em 2015.

A condecoração reconhece esforços de comunidades que trabalham para reduzir a pobreza e gerar desenvolvimento sustentável. O Instituto Raoni, uma iniciativa dos Kayapós, foi selecionado por seu compromisso na proteção de 2,5 milhões de hectares de terras indígenas, através de um projeto chamado de “guerreiros do vídeo”, que documenta a extração ilegal de madeira na Amazônia.

Outro dos vencedores, o Movimento Ipereg Ayu lançou uma ação de resistência para bloquear o desenvolvimento de uma represa no rio Tapajós que submergiria seu território.

Anunciado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em uma coletiva de imprensa em Nova York, cada comunidade receberá um prêmio no valor de 10.000 dólares durante a Conferência de Paris sobre as mudanças climáticas, que acontecerá em dezembro.

“Os avanços dos vencedores do Prêmio Equatorial mostram que soluções locais inovadoras de baixo custo contribuem de fato na batalha contra as mudanças climáticas e promovem o desenvolvimento sustentável”, afirmou Helen Clark, administradora do PNUD.

O ano de 2015 teve recorde de nomeações, totalizando 1.461 grupos de 126 países. O Prêmio Equatorial foi uma iniciativa do Equador que inclui a ONU, governos, sociedade civil, organizações locais e negócios que promovem soluções para desenvolvimento sustentável.

(ONU Brasil)

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.