13 de dezembro de 2017

Condomínios sustentáveis: como economizar energia nos prédios?

economia_energia1Especialista dá dicas para economizar na conta de luz dos condomínios e ainda torná-los mais sustentáveis

Com todo o cenário de racionamento de água e contas de energia que não param de subir, temos que procurar alternativas para reduzir os gastos e economizar a preciosa água. Cada um consegue fazer sua parte dentro de casa, mas, e no condomínio? Será que também dá para encontrar soluções que ajudem na economia? O professor do Centro de Capacitação em Tecnologia da Loja Elétrica (CCT) e engenheiro eletricista João Carlos Lima dá algumas dicas. 

Segundo ele, é possível economizar bastante energia tomando cuidados simples, que podem ser aplicados às áreas comuns, externas, garagens e elevadores, como:

Área comum
• Substituir lâmpadas fluorescentes por lâmpadas LED reduz o consumo de energia a 50%. As lâmpadas incandescentes duram, em média, de 6000 a 10000 horas, o equivalente a 3 anos, com redução pelo número de acendimentos, enquanto as LED duram cerca de 25000 horas, que se traduzem a, aproximadamente, 8 anos.
• Utilize, sempre que possível, a iluminação natural, abrindo janelas, cortinas e persianas em ambientes como o hall social, sala de visitas, salão de festas, salão de jogos etc.
• Instrua os empregados a desligarem as lâmpadas de dependências desocupadas, exceto as que contribuem para a segurança.
• Ao realizar uma reforma no prédio, evite pintar paredes e tetos com cores escuras, pois elas refletem menos luz, exigindo lâmpadas mais potentes que, consequentemente, consumirão mais energia;
• Limpe regularmente paredes, janelas, pisos, e forros. Uma superfície limpa reflete melhor a luz, o que permite manter menos intensa a iluminação artificial;
• Limpe regularmente as luminárias, lâmpadas e demais aparelhos de iluminação. A sujeira acumulada reduz a iluminação;
• Substitua luminárias antiquadas ou quebradas por outras, mais eficientes, de fácil limpeza e, de preferência, com lâmpadas expostas, que poderão ser de potência mais baixa;
• Em locais onde houver muitas lâmpadas acesas, verifique a possibilidade do desligamento alternado;
• Quando for trocar as lâmpadas é importante verificar a equivalência da potência luminosa das mesmas em lumens, pois uma substituição aleatória pode reduzir o nível de iluminação do recinto. É importante consultar o vendedor de lojas especializadas para fazer a substituição correta;
• A utilização de sensor de presença em áreas de circulação é recomendada. Ao instalar o sensor para comando de lâmpadas fluorescentes, regule o tempo de funcionamento para, no mínimo, 15 minutos, caso contrário, ocorrerá queima precoce das mesmas, pois as lâmpadas fluorescentes têm restrições quanto ao número de acendimentos. Uma boa opção é a utilização das lâmpadas de LED, já que essas não têm restrições de acendimentos.

Área externa
• Em áreas de estacionamentos ou locais nos quais a reprodução das cores não é preponderante, pode-se substituir as lâmpadas comuns por lâmpadas de vapor de sódio a alta pressão (VSAP), pois essas são altamente econômicas se comparadas com as lâmpadas de luz mista e vapor de mercúrio. Por exemplo: substituir uma lâmpada de luz mista por uma de vapor de sódio mantém o mesmo nível de iluminação e reduz o consumo de energia em 70%. No caso da substituição da de vapor de mercúrio a redução é de 50%;
• Em áreas de jardins e halls de entrada, recomenda-se a utilização de lâmpadas fluorescentes compactas ou halógenas para obter melhor reprodução de cores. Para o controle das lâmpadas, recomenda-se a utilização de relés fotoelétricos, pois os acendimentos e os desligamentos ocorrerão automaticamente ao anoitecer e ao amanhecer, evitando o consumo desnecessário de energia;
• Nesses locais, também é possível usar sensores de presença, para que as lâmpadas acendam apenas quando houver circulação de pessoas.

Garagem
• Se há na garagem luminárias com lâmpadas fluorescentes comandadas em grupo, estude a possibilidade de instalar interruptores individuais comuns, eles permitirão o desligamento parcial de determinadas lâmpadas, evitando-se a iluminação plena todo o tempo;
• Uma boa dica é dar preferência para a iluminação das áreas de circulação, ao invés dos locais onde ficam as vagas, a utilização de sensores permite aumentar o nível da iluminação para facilitar a manobra dos veículos;
• Abaixar a altura das luminárias também é interessante, pois essa nova posição das lâmpadas aumentará a intensidade da luz. Assim, número de lâmpadas poderá ser reduzido.

Elevadores
• Quando existirem dois elevadores no mesmo hall (um social e um de serviço), deve-se utilizar apenas um. Verifique a possibilidade de fazê-los atender a grupos diferentes de andares (pares e ímpares);
• As crianças devem ser orientadas a não apertar todos os botões do painel e não fazer do elevador objeto de recreação;
• Não sobrecarregar o elevador, respeitando o número máximo de passageiros indicado na cabine. Além de ser transportado com segurança, você evitará danos ou queima do motor;
• Para subir um andar ou descer dois, procure utilizar as escadas. Um pouco de exercício é saudável e não faz mal a ninguém;
• Estude a possibilidade de instalar um sistema de acionamento mais eficiente para os elevadores. Consulte o fabricante;
• Estude a possibilidade de desligar diariamente, de maneira alternada, um dos elevadores, no horário de menor movimento e utilização (por exemplo, das 22h às 6h e nos domingos e feriados).

Bombeamento d’água
• O desperdício de água, os vazamentos e a desregulagem do tempo de descarga das válvulas são responsáveis por uma parcela significativa do consumo de água, além de acarretarem em maior consumo de energia elétrica para o conjunto motor bomba.

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.