SFB e BID apoiam conservação do Cerrado

Foto: Paulo de Araújo/MMA
Foto: Paulo de Araújo/MMA

Projeto oferecerá informações sobre o bioma, ajudando na tomada de decisões

O Serviço Florestal Brasileiro (SFB) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) celebraram, na quarta-feira (28), o início da execução da cooperação técnica no valor de US$ 16,5 milhões que visa implantar o Inventário Florestal Nacional (IFN) do bioma Cerrado e consolidar o Sistema Nacional de Informação Florestal (SNIF).

“No contexto das agendas permanentes de meio ambiente, o Inventário Florestal é uma atividade fundamental. É necessário que o País tenha esse instrumento”, destacou o ministro interino do Meio Ambiente, Francisco Gaetani. “O potencial de desenvolvimento floresta do Brasil é enorme. Precisamos traduzir esse potencial em riqueza, em inclusão, em tributos, em empregos.”

TOMADA DE DECISÕES
O objetivo é que os instrumentos INF e SNIF atuem como mecanismos de política capazes de produzir informações oportunas e de qualidade para tomadores de decisão dos setores público e privado sobre os recursos florestais e seu aproveitamento, contribuindo para a promoção de programas sustentáveis voltados à gestão florestal e mitigação de emissões de gases de efeito estufa (GEE) no Cerrado.

“O Inventário Florestal é um importante instrumento do Código Florestal, é uma ferramenta extremamente importante para o planejamento, para a gestão do território”, afirmou o diretor-geral do SFB, Raimundo Deusdará.

Para a chefe da Divisão de Mudança do Clima e Sustentabilidade do BID, Amal-Lee Amin, esta cooperação técnica representa um elemento decisivo em relação ao uso sustentável dos recursos florestais. “Consideramos a implantação do projeto extremamente importante porque seus produtos vão prover informações consistentes necessárias para a formulação de políticas públicas e o desenvolvimento de planos para fortalecer o uso sustentável e a conservação do Cerrado”, disse.

DADOS SOCIOECONÔMICOS
Estima-se que ao final do projeto, tomadores de decisão e a sociedade vão dispor de estimativas precisas sobre a área de cobertura florestal e usos da terra, degradação florestal, florestas em regeneração, ocorrência de espécies em perigo ou ameaçadas de extinção, estimativas dos estoques florestais e de carbono acima e abaixo do solo, manejo florestal. O indicador incluirá, também, como dados socioeconômicos sobre uso local de produtos e serviços das florestas por populações rurais e sua percepção sobre a importância desses recursos no bioma Cerrado.

“Além de fortalecer o Sistema Nacional de Informações Florestais, a parceria com o BID permitirá expandir o Inventário Florestal Nacional para o bioma Cerrado”, afirmou o diretor do SFB, Joberto Veloso. “Os dados e informações gerados pelo IFN serão importantes para uma gestão ambiental baseada no conhecimento e colocará em outro patamar as ações de conservação deste bioma que tem um papel fundamental na mitigação das mudanças climáticas.

SAIBA MAIS
O Cerrado brasileiro é o segundo maior bioma do País e da América do Sul. Sua vasta superfície se estende entre 11 unidades da federação: Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná, Minas Gerais, São Paulo, Tocantins, Maranhão, Piauí e Distrito Federal. Possui papel estratégico para o meio ambiente, economia e segurança alimentar, além de abrigar grandes reservas de carbono, recursos hídricos e uma biodiversidade impressionante.

(Fonte: Ascom/Ministério do Meio Ambiente, com informações da Assessoria de Imprensa do BID)

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.