“Governo aparenta pensar que Acordo de Paris é apenas um compromisso internacional, desconectado da realidade brasileira”, diz Observatório do Clima

O presidente Michel Temer entrega ao secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, o documento em que o Brasil ratifica o Acordo de Paris, que trata de mudanças climáticas Foto: Beto Barata/PR
O presidente Michel Temer entrega ao secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, o documento em que o Brasil ratifica o Acordo de Paris, que trata de mudanças climáticas Foto: Beto Barata/PR

“Apesar de Michel Temer ter dito na ONU que nós só temos um planeta, o governo parece agir como se tivéssemos mais de um”, afirma Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima

O presidente Michel Temer entregou hoje (21) ao secretário-geral das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-Moon, o documento no qual o Brasil ratifica o Acordo de Paris sobre mudança do clima. O documento estabelece metas a serem adotadas pelo país, com o objetivo de frear o aumento da temperatura no mundo.

Pelo acordo, o Brasil assume oficialmente o compromisso de manter o aumento da temperatura média global em menos de 2°C acima dos níveis pré-industriais e de limitar o aumento da temperatura a 1,5°C acima de tais níveis até 2100. Outros 30 países também encaminharam o documento, durante a cerimônia na sede das Nações Unidas. Para entrar em vigor, o acordo precisa ser ratificado (transformado em lei) por pelo menos 55 países responsáveis por 55% das emissões de carbono.

Leia a seguir a reação do Observatório do Clima* sobre o resultado do evento de ratificação do Acordo de Paris na ONU:

Quarta-feira, 21 de setembro de 2016.

“A ratificação do Acordo de Paris por 31 países simultaneamente nesta quarta-feira é mais um recorde de adesão batido pelo tratado climático, que ruma para entrar em vigor quatro anos antes do prazo. No entanto, o sentido de urgência manifestado por diversos líderes mundiais em seus discursos ontem e hoje na ONU ainda está longe de se refletir em medidas reais de implementação dos compromissos de Paris, eles próprios insuficientes para assegurar a descarbonização da economia e a redução dos riscos da mudança climática.

No caso do Brasil, apesar da rápida ratificação do acordo e do fato de o presidente Michel Temer ter dito na ONU que nós só temos um planeta, o governo parece agir como se tivéssemos mais de um: continuamos avançando o PPI [N. E. Programa de Parcerias de Investimentos] e outras agendas como se não houvesse crise climática e como se não tivéssemos nenhuma responsabilidade sobre ela. A economia do país mudará para sempre após a ratificação, mas o governo aparentemente pensa que ela é apenas um compromisso internacional, desconectado da realidade brasileira.”

Carlos Rittl, secretário-executivo 

 

*O Observatório do Clima é uma rede que reúne entidades da sociedade civil com o objetivo de discutir a questão das mudanças climáticas no contexto brasileiro. Atua na formulação, no acompanhamento e no monitoramento de políticas públicas para clima no Brasil.

(com informações do Observatório do Clima e da Agência Brasil)

 

 

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.