24 de setembro de 2018

Prorrogadas até 13 de junho as inscrições para o programa Ecoforte

Fundação Banco do Brasil vai selecionar 30 projetos de agricultura orgânica e extrativismo sustentável. O prazo para esclarecer dúvidas também foi ampliado para o dia 6 de junho

As inscrições para a chamada pública do Ecoforte foram prorrogadas para 18h do dia 13 de junho. Serão selecionados 30 projetos de associações sem fins lucrativos, fundações de direito privado ou cooperativas que atuam como representantes de rede de agroecologia e que desenvolvem projetos de agricultura orgânica e extrativismo de forma sustentável.

Cada instituição só poderá inscrever uma proposta de projeto. A proposta precisa ter valor máximo de R$ 1,25 milhão e prazo de até 24 meses para execução.

Podem receber apoio ações de formação e qualificação; assessoria (jurídica, contábil, sanitária e ambiental); assistência técnica e extensão rural; gestão dos processos de negócios. Também estão entre os itens contemplados pelo edital: despesas com aquisição de máquinas e equipamentos novos; veículos; equipamentos de proteção individual (EPI); e equipamentos de informática e software, entre outros.

Na página sobre o edital as organizações interessadas em participar podem acessar diversos documentos, inclusive sobre perguntas frequentes.  Já o modelo de projeto e as orientações para preenchimento constam no Modelo de Plano de Trabalho.

Dúvidas sobre o Edital podem ser encaminhadas à Comissão de Seleção por meio do correio eletrônico chamadaspublicas@fbb.org.br com o título “Edital de Seleção Pública nº 2014/005 – Redes ECOFORTE – DÚVIDAS”, até o dia 6 de junho.

Os envelopes com as propostas de projetos deverão ser entregues pessoalmente na Fundação, mediante protocolo, até as 18h do dia 13 de junho, ou postados até esta data.

Ecoforte – Nesta primeira etapa, a iniciativa vai destinar R$ 25 milhões em investimentos sociais, em uma parceria da Fundação Banco do Brasil (FBB) com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O foco será a estruturação das entidades que representem as redes relacionadas à produção orgânica, extrativista e de base agroecológica. Em uma segunda etapa haverá nova chamada pública para apoio à implantação ou melhoria de empreendimentos econômicos que estejam vinculados à rede selecionada na primeira etapa.

A expectativa do Ecoforte é diversificar e ampliar a capacidade produtiva, intensificar as práticas de manejo sustentável de produtos da sociobiodiversidade e de sistemas produtivos orgânicos e de base agroecológica.

O Programa prevê a comercialização dos produtos das redes, cooperativas e associações de pequenos produtores, o que deverá aumentar a renda familiar dos participantes, possibilitando a inclusão socioprodutiva deste público. Os recursos devem beneficiar cerca de 20 mil famílias de assentados da reforma agrária, agricultores familiares, indígenas, povos e comunidades tradicionais.

(com informações da FBB. Foto capa: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.