24 de setembro de 2018

Brasília ganhará Praça e Parque Urbano Internacional da Paz

Nova ciclovia, museu a céu aberto, centros comerciais e representações diplomáticas ocuparão a área localizada no Setor de Embaixadas Norte.

Em 2018, Brasília ganhará a Praça e o Parque Urbano Internacional da Paz. A decisão foi anunciada em evento na Casa da ONU na segunda-feira (18), com a assinatura de um decreto pelo governador Rodrigo Rollemberg. A iniciativa é uma parceria do Sistema ONU no Brasil e do Governo de Brasília.

A região em que ficará o parque terá terrenos para embaixadas, dois centros comerciais, uma praça para exposições de obras de arte a céu aberto e uma ciclovia. O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic, informou que várias embaixadas e organismos internacionais já expressaram apoio ao parque e que a ideia é transformá-lo em um museu a céu aberto, com obras de artistas de diferentes regiões do mundo. “Estamos comprometidos para que esse novo espaço público represente, de fato, o que ele se propõe a ser: um ambiente de harmonia, confraternização, convivência.”

Considerada Patrimônio Cultural Mundial da Humanidade pela UNESCO, Brasília recebe pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo, lembrou Niky Fabiancic. “Parece-nos justo que esta cidade abrigue um parque internacional dedicado à paz entre os povos e as pessoas”, declarou.

Segundo o governo de Brasília, o parque integra a segunda etapa do Setor de Embaixadas Norte e tem por objetivo viabilizar lazer, intercâmbio cultural e promoção das relações internacionais. O parque urbano abrigará parte de uma rede pluvial, com projeto paisagístico da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) e do Jardim Botânico. A expectativa é que a primeira obra do parque – uma ciclovia – seja inaugurada em março de 2018.

Brasília, a capital criada do zero no centro do país, em 1956, foi um marco na história do planejamento urbano. O urbanista Lúcio Costa e o arquiteto Oscar Niemeyer pretendiam que cada elemento – da arquitetura das áreas residenciais e administrativas (frequentemente comparadas à forma de um pássaro durante o voo) à simetria dos próprios edifícios – estivesse em harmonia com o design geral da cidade. Os edifícios oficiais são especialmente inovadores e criativos. A cidade faz parte do Patrimônio Cultural Mundial da Humanidade da UNESCO desde 1987.

(ONU Brasil)

Compartilhe!

Veja mais notícias

error: Conteúdo protegido.